Eu te amo.

21 novembro 2012



Não grita! A felicidade incomoda. 
Vem correndo e me abraça forte, só para me lembrar como o nosso abraço tem o encaixe perfeito. Eu preciso te sentir de novo, preciso ver que todo esse amor é verdade e que você voltou para mim. 
Se você soubesse o poder que possui sobre mim... Eu sempre querendo controlar tudo ao meu redor e você vem bagunçando tudo na minha volta, em mim.
Eu não sou uma dessas guriazinhas-bobinhas-apaixonadas, mas só de olhar para você um brilho perfeito se fixa em meu olhar. Fico sorrindo como uma criança que ganhou um doce. 
Quando percebo, estou completamente e apaixonadamente viciada em você.
O meu corpo treme todo, só de pensar que talvez, um dia, você não esteja mais aqui do meu lado.
Só você sabe me dizer as coisas certas, as mesmas que me deixam totalmente sem graça. 
Nunca achei que amaria alguém como você. 
Você era só mais um desses caras normais, mais velhos e sem graça. Até que um dia você sorriu e mandou minhas teorias e conceitos para o espaço! 
A graça que eu julgava que te faltava me arrepiou quando você declamou aquela poesia no meu ouvido. Quando sua voz rouca me fez fechar os olhos e entrar de corpo e alma no texto que você interpretava. 
Você veio devagarzinho, invadindo meu rosto, meu espaço, meu corpo, meu coração. Tomou conta de mim. 
Eu tenho medo de exclamar esse amor todo e ele sair voando junto com as palavras. Tenho medo de gastar, sabe?
Mas será que amor gasta? Amor. Não, não gasta. E bem, não é mais fogo de palha porque eu te amo e já faz um tempo. Não é novidade. 
Eu tenho medo que alguém escute e resolva te levar para longe. E que um dia você aceite ir embora e me deixe por aqui. Por isso eu queria não te amar. Para não ficar vulnerável. Você sabe que eu odeio ficar vulnerável né?!
Eu não queria sentir um soco no estômago cada vez que você diz "precisamos conversar". Eu não queria minhas bochechas pegando fogo quando te vejo conversando com outra garota. Eu não queria perder o controle. 
Mas não me olha assim, com essa carinha de abandonado. Põe o óculos. 
Eu tinha te dito que não queria me apaixonar, mas não foi só culpa minha. 
Toma o teu lugar, senta do meu lado e pega a minha mão. Eu não tenho mais medo de falar, nem que seja em um cochicho: 

eu te amo.




7 comentários:

  1. Aiii, que texto lindo!
    Do jeito que anda minha vida eu nem deveria estar lendo essas coisas! hahaha
    Mas adoreii!

    E amiga, muito obrigada pelo selinho!
    Fiquei lisonjeada *---*
    Obrigada mesmo e desculpa a demora, tinha viajado!

    Bjo bjo!

    http://muitasfeminices.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Lindooo!!!

    Beijos Floor*

    http://alineperobello.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Amei seu texto Amanda *-*
    Venha participar: http://www.blog-justnow.com/2012/11/sorteio-cher-bijoux.html ♥

    ResponderExcluir
  4. Amei o blog *--*

    Seguindo
    http://blog-thelook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo! Sentimento puro, bonito.
    Lindo o seu blog.
    Beijos, Cyn.
    http://ograndetalvez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios meninas...

      Beijos

      Excluir







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!